Não perca pelos dedos a família que lhe ama

Pro seu dia ficar melhor – Não perca pelos dedos a família que lhe ama

Existe um tipo de abandono que não se contabiliza. É o abandono emocional. É o tipo de abandono que ocorre dentro das famílias que vivem na mesma casa.

Fisicamente todos estão presentes, mas em seus mundos individuais. Como descobrir se a família está passando por esse tipo de abandono?

Em algumas ocasiões esse tipo de abandono pode se manifestar, por exemplo:

Quando os  membros da mesma família não se respeitam. Quando não tomam mais nem uma única refeição juntos. Quando os filhos se aproximam dos pais apenas para pedirem dinheiro.

Quando a esposa só procura o marido para pagar as contas do mês. Quando ninguém se sente feliz de assistirem juntos ao mesmo filme, ouvirem a mesma música ou irem ao mesmo passeio, pelo menos uma vez por semana, ou uma vez a cada quinze dias. O ideal seria naturalmente, sem prazos pré-estabelecidos porque seria mais verdadeiro.

Quando o pai ou a mãe não sabe quais atividades os filhos estão realizando na escola. Quando os filhos não sabem onde o pai ou a mãe trabalha, o que eles fazem, do que eles gostam, como eles ganham o dinheiro para sustentar a família, etc.

Quando os filhos pedem impiedosamente algum objeto sem nenhuma consideração, por exemplo, estou sendo um bom filho, estou cumprindo com as minhas responsabilidades antes de pedir alguma coisa, ou faço apenas por interesse?

Quando existe o sarcasmo, a indiferença e o desrespeito nas relações entre os membros da família. Quando todos falam o que pensam e dane-se se a pessoa ficar magoada, quem mandou ser casquinha de ovo?

Quando todas as dificuldades e problemas ganham nomes, “_Ah, culpa do pai, ah, culpa da mãe, ah, culpa do meu irmão, ah, culpa de fulano, cicrano e beltrano”, ou seja, ninguém assume as suas responsabilidades porque é muito melhor e mais fácil sempre culpar uns aos outros do que assumir as próprias fraquezas e notar que se precisa mudar para melhor.

Quando todos começam a se comportar como máquinas, só respondem ao que é perguntado, semelhante a um caixa eletrônico. Insira seu cartão, escolha a opção desejada, etc.

Quando ninguém toma a iniciativa de ajudar o pai ou a mãe quando estão realizando alguma tarefa, exemplo, lavando o quintal, podando uma árvore, limpando uma cozinha, passando a roupa da família, e diversas outras atividades que poderiam ser mais rápidas e menos cansativas se todos se ajudassem.

Quando o casal troca as palavras de sabedoria por mísseis  teleguiados, ou seja, eu vou dizer isso porque isso vai atingir em cheio a autoestima do outro, e eu vou destruí-lo(a) porque eu sei que tal pessoa valoriza muito isso, por isso eu vou no âmago, só para feri-lo(a).

Quando o casal discute na frente dos filhos tirando toda a paz da família. Quando todos saem de suas tocas reclamando que o sinal da internet foi interrompido, ou que alguém está baixando algo atrapalhando a velocidade da conexão.

Quando objetos, roupas e calçados são deixados jogados pelo caminho todos os dias, sem a mínima boa vontade em guardá-los, sem nenhum senso de organização dos membros da família para conservarem a casa limpa.

Quando cada um da família busca ardentemente os seus objetivos sendo que o principal objetivo está sendo deixado de lado, que é a união da família, os seus membros se sentirem seguros e amados dentro do lar.

Prováveis sintomas ou reações adversas no futuro

Não é uma regra, mas é provável que cada um da família vai se tornar melhor profissional, melhor empregado, melhor no que faz, se tiver o estímulo positivo da família, caso contrário, se a família desestimula, rebaixa e desqualifica os seus membros, não será nenhuma surpresa se eles forem embora buscando sair daquele ambiente danoso. Não é uma regra, mas é bem provável que os que permanecerem neste ambiente hostil terão muitas dificuldades em se relacionar com outras pessoas e de serem bem sucedidos na vida profissional.

Existem diversos exemplos de pessoas que saíram do lar por causa da violência doméstica, ( agressão verbal também é considerada uma violência doméstica, dependendo, pode ser mais traumática do que uma violência física), e se tornaram excelentes profissionais e até empresários de sucesso.

Conforme você pode notar, este tipo de abandono emocional não se contabiliza, porque todos, como eu já disse, moram na mesma casa, não moram na rua, e nem foram abandonados em albergues, abrigos ou creches.

Não tem como contabilizar as pessoas que estão passando por este tipo de abandono.

Recentemente isso se agravou ainda mais, porque com o uso da tecnologia, as pessoas passam horas e horas conversando com outras pessoas de fora da família, embora estejam sentadas no mesmo sofá, assistindo a um filme, enquanto dividem a atenção com outros.

Se estiver passando por isso, é hora de agir. Busque ajuda. Mude os seus hábitos. Colabore. Deixe as suas escolhas pessoais, as suas diferenças e faça a sua parte.

Se cada membro da família fizer a sua parte, todos ganharão com isso. Dê o exemplo. As tarefas e deveres ficarão mais leves. Com todos se ajudando, uma atividade que levaria de uma a duas horas pode durar agora de quinze a vinte minutos.

Tarefas onde todos interagem uns com os outros une a família, e alivia a carga para todos. Quando sentir vontade de comprar algo de que você deseja muito, pense na família. O que eu vou comprar vai colocar a minha família em dificuldades financeiras?

Quando sentir vontade de sair com os amigos, vai voltar no horário, ou vai descumprir a palavra, causando estresse para os pais?

Quando precisar decidir a cor, o tamanho, o valor a ser gasto com a compra de algum imóvel ou algo de maior importância, vai ouvir todos da família ou dominará a conversa e prevalecerá apenas as suas opiniões agindo por impulso?

Enquanto prevalecer os seus gostos e as suas intenções, é natural que todos os membros da família agirão da mesma forma.

Enquanto prevalecer o seu pulso de ferro, é óbvio que os outros membros da família se revoltarão e cada um agirá de sua maneira.

Por isso, lembre-se do abandono emocional. Não é comprando ou dando tudo que você terá a união de sua família.

Não é o quanto você pode pagar que determinará o quanto de felicidade a sua família vai ter. Esse assunto se torna muito extenso se formos abordar todas as circunstâncias./p>

Espero apenas que não permita que o abandono emocional destrua a sua família, porque não é o fato de todos morarem na mesma casa que significa que a sua família esteja unida e protegida.

Pense nisso.

Leandro Tissiano

PRO SEU DIA FICAR MELHOR LOGO MARCA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s