Amor platônico, quem nunca sofreu disso?

Pro seu dia ficar melhor – Amor platônico, quem nunca sofreu disso?

Na maior parte de minha adolescência eu me comportei como um garoto muito tímido. Isso me gerou enormes desafios no relacionamento com outras pessoas, principalmente com as garotas.

Quando garotas extrovertidas se aproximavam de mim eu literalmente travava o cabeção. Algumas delas se interessavam em me conhecer melhor, mas eu simplesmente não correspondia.

Porém, quando eu me interessava por uma garota, a maior parte delas não estava nem um pouco interessada em mim. Houveram algumas exceções, mas dentro destas exceções, quando eu mostrava interesse por elas, a garota já tinha vazado, porque a fila anda, não é mesmo? Então eu perdia o “feeling”, ou seja, o momento certo.

Com isso fui me complicando, porque o medo de ser um garoto que tomava a iniciativa me apavorava, e com isso conquistei vários amores platônicos, e falando sério, isso é muito chato e desgastante.

Dentre as diversas fases na vida de uma pessoa, uma das mais marcantes na minha opinião, são aquelas em que o nosso coração bate mais forte por alguém.

E o meu mau era tornar estes momentos inesquecíveis por pensar na garota o tempo todo e o dia inteiro. Para se ter uma ideia e como eu ficava, eu criava dentro da minha cabeça todo o cenário teatral, eu chegando, eu partindo pra cima, ela nos meus braços, aquele beijo de língua, uma pegada forte, etc, etc, etc. Mas na prática eu era um desastre.

Eu era um sonhador de primeira classe, porque nos meus sonhos eu estava conquistando a garota, mas a maior parte delas nem sequer sabiam que eu estava interessado nelas.

Existiam momentos que ser tímido me deixava tão estressado que houve situações em que eu partia pra cima, e naquela época partir pra cima de uma vez assustava, e as garotas corriam de mim. (hahahahaha)

Embora agora seja engraçado, acredito que o amor platônico ainda exista em pessoas adultas que continuam a passar por isso.

O amor platônico desgasta o emocional porque você sonha acordado todo o tempo. Todo o tempo você fica pensando na outra pessoa, e isso se torna uma rotina. Você perde a fome, perde o sono, o bom humor, você se torna um escravo dos seus sentimentos, ou seja, você só se doa e não recebe nada. Você investiria todos os seus recursos num banco falido? Pois é, eu investia.

O negócio se torna crítico quando o seu dia, as suas ideias, os seus planos e os seus pensamentos giram apenas em torno da outra pessoa.

E quando você cruza com essa pessoa e ela diz apenas “olá” acompanhado de um sorriso? (“meuuuuuu Deuuuuusssss!”) As suas esperanças e sonhos que andavam esquecidos voltam a milhão dentro de você, e novamente o coração dispara, você pensa que pode ser a chance dos teus sonhos, e você se vê com a outra pessoa. (Ei! Calma! Não aconteceu nada!) É, vai falar isso para um garoto de 14 anos pra ver se é fácil?

Depois que eu fiquei mais velho, conheci várias pessoas adultas frustradas por estarem nessa mesma situação.

Era ruim permitir que a minha autoestima fosse colocada em segundo plano, porque eu me deixava moldar por estas pessoas que eu me interessava. Se elas sorrissem e conversassem comigo o meu dia era maravilhoso. Se eu ficasse de escanteio o meu dia era péssimo.

Isso me deixava de mau humor. Será que por isso pessoas mau humoradas são mau amadas, ou pessoas mau amadas são mau humoradas? (Qual será o segredo de Tostines? hahahahaha)

Além de gerar frustração, era revoltante aquilo. No meu caso amar platonicamente era não aceitar a perda (eu nem tinha conquistado) da pessoa que você estava apaixonado.

E quando desejar estar ao lado da outra pessoa começa a virar uma obsessão? É complicado, não é mesmo? Talvez por isso eu fosse complexo. (hahahahaha, ainda sou, mas só um pouquinho)

O amor platônico é f…, porque você se ilude com um amor que não é real, você se torna egoísta, possessivo, ao ponto de achar que a outra pessoa é de sua propriedade, objeto de seu interesse.

Mas um dia eu precisei acordar, depois de muito tapa na cara (emocional), foi quando decidi terminantemente pisar imediatamente no freio de meu coração, parar de fazer burrada, bater com a cara no muro, e pensar mais conscientemente e com mais lógica. (o amor tem lógica?)

Aprendi a duras penas que o amor é para ser correspondido espontaneamente. Embora seja um sentimento muito forte, ainda assim é um sentimento mais comportado, diferente de uma paixão avassaladora, é um sentimento real, verdadeiro, e é alimentado da mesma forma pela outra pessoa com quem se relaciona.

Eu perdia muito tempo esquematizando, calculando, imaginando, sofria por antecipação, aí perdia totalmente a vontade de tomar a iniciativa, tamanho era o meu medo.

Minhas mãos soavam, o coração ia na garganta, as palavras não saiam. (hahahahaha, comédia!) Com o tempo fui ganhando coragem e o bom foi que a partir do momento que eu passei a me aproximar, antes porém, com mais sabedoria, eu analisava melhor as circunstâncias, isso fazia com que eu chegasse na garota com mais segurança, embora tomei muiiiitttoooo não na cara, mas pelo menos eu não ia para casa pensando no maldito “se”, e “se” ela gostar de mim? e “se” eu conquistá-la? e “se” isso? e “se” aquilo”?

Vocês não fazem ideia de como viver dentro do “se” ferra por completo com a tua vida! Não fique nessa. Educadamente tente, tome a iniciativa, busque, aproxime-se, sofra, sonhe, deixe as mãos soarem, a garganta secar, mas não deixe de falar sobre o seu interesse na outra pessoa, porque senão amigo(a), você passará a sua vida acorrentado no “se” e esse “se” te enlouquece, acredite nisso.

Não pense que eu estou querendo ser o guru do amor platônico, não existe uma receita pronta e infalível para se livrar disso. Eu disse o que funcionou no meu caso, mas dentro da lógica, o que eu sei hoje é que um amor sensato começa aos poucos, com uma amizade que na sequência pode se transformar ou não em interesse mútuo, gerando ou não um relacionamento afetuoso.

Então não sonhe. É melhor a realidade dita do que a mentira sonhada.

Não dê asas à sua imaginação. Isso vai te deixar melhor e evitar muito sofrimento. Como ninguém é de ferro, no começo será tentativa e erro, e numa dessas é possível que você goste de alguém, cujo amor não será correspondido. Pense que é melhor sofrer agora do que sofrer o resto de sua vida por não ter tentado.

Alguns adolescentes comentaram comigo que hoje é só ficar e sair de boa. Mas não se engane, conheci pessoas assim que disseram isso e a outra pessoa já tinha fisgado o coração delas, por isso abaixa a bola, a paixão é imprevisível. Se sentir que o seu coração está se apaixonando, crie a oportunidade para falar disso à outra pessoa para não cair numa enrascada emocional.

Quando eu passei a ser honesto comigo mesmo, pesando os detalhes que envolviam as possibilidades de me encontrar com uma garota, tudo mudou, porque desta vez eu estava com os pés no chão.

Aprendi a levar muito a sério uma relação, tanto é que eu analisava a outra pessoa antes mesmo de declarar o meu interesse por ela. Eu analisava como ela se relacionava com outras pessoas, o comportamento dela diante dos amigos, parentes e conhecidos. Isso me tirava de muitas enrascadas.

Pergunte-se: Ela me olhou diferente? Correspondeu às minhas investidas? É uma pessoa de confiança? Como é o estilo de vida dela? Sobre o que ela pensa? Do que ela gosta? Quais os interesses dela? Alguma vez ela deu indícios de vir à estar interessada em mim?

Detalhe: Não minimize os defeitos e nem maximize as qualidades, pois isso desvia o seu foco da razoabilidade.

Se pensou em tudo, crie a oportunidade de encontrar-se com ela. Declare à pessoa o seu interesse por ela, mas sempre com os pés no chão, pois a resposta pode ser diferente daquela que você estava esperando.

E se a resposta for um não, seja maduro. A pessoa disse não ao namoro, e não à você. Cuidado para não ser sarcástico e passar a menosprezar a pessoa. Ela também tem o direito de escolher o que ela acha ser o melhor para ela.

Quando passar por esta fase, olhará para trás e assim como eu, perceberá que foi corajoso ao se declarar à pessoa. Ficará feliz em saber que não viveu um amor irreal e nem se martirizou olhando para o passado, perguntando-se: “Puxa, por que eu deixei aquela chance escapar?”, ou, “Será que poderíamos estar juntos hoje?”

Perguntas assim atormentam a vida daqueles que já passaram por isso.

Se perceber que o seu coração bate forte por alguém, não se iluda, faça o que deve ser feito e siga em frente com a vida.

Ninguém merece viver na tristeza, ainda mais por um amor não correspondido.

É muito difícil olhar para uma amiga quando queria tê-la como namorada, mas, sendo suficientemente maduro, aceitará isso de uma forma natural, e estas lembranças se tornarão boas lembranças. Você dará muitas risadas com os micos que passou e o seu dia ficará muito melhor, pois soube aproveitar uma das mais intensas e inesquecíveis fases de sua vida.

Leandro Tissiano

PRO SEU DIA FICAR MELHOR LOGO MARCA

2 Replies to “Amor platônico, quem nunca sofreu disso?”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s