Filosofando, Pro seu dia ficar melhor

Eu sou a favor do aborto

André tem apenas 16 anos. Ele acabou de vencer o prêmio de ciências interestadual.

De uma tribuna, dentro de um grande salão de Teatro, ele recebe do Presidente do Conselho de Ciências, a medalha de honra ao mérito.

Sua descoberta foi incrível. Ele estudou e encontrou uma nova fonte de energia biodegradável, da casca da jabuticaba, algo que revolucionará as indústrias de combustível no mundo.

Anos mais tarde, André está terminando o seu último mês de engenharia química pela Universidade de Massachussetts, EUA.

Algo surpreendente acontece. De seu microscópio nuclear, ele anuncia para a sua equipe: Descobrimos a cura para o câncer!

André é abraçado por todos, e seis meses depois, diretamente de Oslo, na Noruega, André é chamado até o palco, diante de milhares de pessoas que o aplaudem em pé, para receber o prêmio Nobel de química. Jornalistas do mundo inteiro estão presentes.

As notícias correm pelo mundo. Todos acompanham e compartilham as novidades. Pessoas que possuem laços familiares com pacientes em estado terminal abraçam seus entes queridos. Finalmente a cura para o câncer havia chegado.

Hospitais do câncer, com milhares de crianças recebem os primeiros kits de tratamento contra a doença. É comovente a euforia entre elas. Gabriela já esboça os primeiros resultados positivos. Seu câncer de medula cessou.

Os resultados do novo tratamento se mostram muito promissores, e mesmo os estados mais agressivos da doença começam a regredir.

Mas inesperadamente, o tempo para e começa a retroceder. Misteriosamente, André desaparece e não está mais presente no laboratório para trabalhar.

Meses depois, toda a equipe formada por ele se desfaz. Todas as experiências realizadas, registros e documentos desaparecem.

Todas as crianças e pessoas envolvidas no novo tratamento pioram o estado de saúde e morrem.

A euforia, alegria e agitação de notícias tão maravilhosas dão lugar ao silêncio, tristeza e frieza dos velhos corredores dos Hospitais.

Aqueles que ainda sobrevivem, lutam para manterem as esperanças. Eles se encontram em seus leitos, vivendo a rotina de todos os dias, perambulando pelos corredores dos Hospitais, tentando manter o sorriso em seus rostos.

Os entes queridos que lutam contra o câncer voltam a sofrer em silêncio, deixando os seus familiares angustiados com tanta dor.

A pequena Gabriela, uma jovem menina, de olhos grandes e um sorriso meigo, faleceu a três dias atrás.

Mas, por que essa reviravolta? Será que empresas inescrupulosas, que lucravam muito com a doença mandaram matar André? O que houve?

Nenhuma foto, filmagem e notícia dos eventos foi mantida. Tudo desapareceu misteriosamente.

Objetos como troféus, certificados, documentos pessoais, nada, tudo virou fumaça.

É como se alguma força além do normal tivesse arrancado tudo de André, e toda a sua história. Seria Deus? Seria o destino?

Não. Nós descobrimos o que ocorreu. A mãe de André foi vista saindo de uma clinica médica clandestina.

André nem sequer teve a chance de nascer. Sua mãe o abortou enquanto ainda tinha poucos meses de vida.

Naquele instante, a mãe de André encerrou todas as expectativas e esperanças de outras pessoas, porque ela tinha a certeza de que o que ela estava fazendo jamais poderia ser algo que pudesse mudar a sua história ou a história de outras pessoas.

Infelizmente, André é apenas um dos centenas de futuros cientistas, advogados, médicos, físicos, químicos, engenheiros, atores, músicos, artistas, escritores e pessoas do bem que morrem todos os dias.

Talvez André não fosse um grande cidadão ou conquistasse prêmios importantes em sua vida caso tivesse a chance de nascer, quem sabe ele fosse apenas uma pessoa comum, talvez se tornasse até um criminoso, não sabemos.

Mas, independente de ele se tornar do bem ou do mal, ele não teve a mesma chance de escolher o que ser na vida, porque a sua mãe o abortou. Ele teve a sua vida arrancada da sociedade, diferente de sua mãe, que nasceu, cresceu e ainda vive.

É tão difícil entender que não se pode destruir uma outra vida quando este outro ser gerado não tem o direito de escolher se quer viver ou morrer?

Eu não sou o dono da verdade, este post é apenas algo para refletir. Se você concorda ou não, é um direito seu.

Leandro Tissiano

LOGO 150 PX VAZADA PSDFM

9 thoughts on “Eu sou a favor do aborto”

  1. Gostei do texto. Não temos o direito de tirar a vida de ninguém. Todos tem que ter a chance de viver, independente de qual será o seu futuro. E o dever da sociedade é defender a vida e protege-la, mesmo quando a sua pior ameaça seja aquela que a gerou.

    Liked by 1 person

  2. Em última análise, aborto é homicídio. Por isso, defendo a equiparação das penas de aborto com as de homicídio doloso (de 18 a 30 anos) para todos os envolvidos. Parece radical, mas é a única solução efetiva para este grande mal.

    Liked by 1 person

  3. É verdade Pedro. Abortar hoje em dia se tornou uma alternativa estética. Hoje, só para comparar, acham um crime hediondo maltratar um animalzinho, e está certo, mas quando se aborta, parece que não é tão grave ou mais grave do que maltratar um animalzinho.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s