A condenação não traria Eliza Samudio de volta à vida

Assuntos polêmicos são os mais cotados à serem rebatidos ou rechaçados. Nesta semana que passou observamos algumas notícias que geraram muitos debates e análises, piadas em redes sociais, e entre os assuntos mais comentados observamos o do goleiro Bruno, em liberdade, inclusive participando de jogos profissionais.

O argumento mais usado por ele foi o de estar arrependido e que a “Condenação não traria Eliza Samudia de volta à vida.” Em outras palavras, “O seu Juiz, já que não tem como trazer Eliza de volta à vida, faz favor, me libera aí vai!”

Já imaginaram meus amigos se esta moda pega? “Oh seu Juíz, já que não dá para trazer de volta a vida das pessoas que eu matei, faz uma gentileza, me libera aí vai! Não vamos ficar aqui perdendo tempo seu Juíz, nem aqui eles estão, não dá para ter audiência sem o outro lado, então me libera, vai!”

Não, isto é totalmente insano, concordam? Vejam bem, quem sou eu para julgar uma pessoa estar ou não arrependida, ponto. Não é isso o que eu gostaria de falar.

Trato de uma questão mais plausível para se fazer justiça com uma vítima que não está mais entre nós para se defender, ponto.

O goleiro Bruno tem a cadeia para se arrepender, se ele mudou, se é hoje uma pessoa totalmente diferente do que era, tudo bem, as pessoas podem mudar, mas, não significa isso que ele deveria estar em liberdade.

Ele pode ser uma boa pessoa, mas, dentro da cadeia. Ele pode mudar o sistema para melhor, dentro do presídio, cumprindo pena em cadeia.

Ele pode dar aula de futebol dentro do presídio, quem sabe ser até técnico dentro da cadeia. Ele pode trabalhar na recuperação e na educação dos presos.

Eu não vejo nenhum problema em ele estar arrependido do que fez, mas, desde que esteja encarcerado. Da mesma forma que ele não pode trazer Eliza Samudio de volta à vida, a justiça e a sociedade também devem responder à ele que não é possível ele ficar em liberdade, já que a sua liberdade também não vai trazer Eliza Samudia de volta à vida. Entenderam? Por que a balança da Justiça deve pender apenas para o lado do goleiro Bruno?

Se um crime desta magnitude não for tratado com o devido exemplo, o que vai dar de pessoas sendo soltas de prisões porque não podem trazer de volta à vida suas vítimas, será algo espantoso de se ver!

O que isso passa à todos nós? Que qualquer pessoa pode matar e se arrepender depois, que está tudo certo.

Na Inglaterra uma pessoa muito famosa teve a sua carteira de motorista suspensa porque excedeu a velocidade em 8 Km/h, estava exatamente a 56 Km/h numa via onde a velocidade máxima era 48 Km/h. Detalhe, foi julgada em primeira instância.

Agora, uma pessoa é suspeita de pegar um ser humano e fazer com ela as coisas mais monstruosas possíveis, dizer que está arrependido, que a condenação não traria Eliza novamente à vida, e sair rápido da cadeia, antes que não dê para jogar mais futebol devido a idade. Fala sério!

Vamos relembrar, segundo as acusações que pesam sobre ele, embora existam aqueles que dirão que não há nada comprovado.

Pois bem, olhe a sequência dos fatos:

  • Eliza denunciou Bruno por sequestro, agressão e ameaça
  • Foi intimidada a ter de fazer aborto porque Bruno não queria a paternidade
  • Bruno bateu em Eliza e a ameaçou com uma arma empunhada obrigando-á a tomar medicamentos abortivos
  • O laudo apontou a comprovação de vestígios de agressão no corpo de Eliza
  • Eliza faltou às audiências por medo de represálias (Ela não era famosa como ele, por isso ninguém se importava com a segurança dela)
  • Ela passou um tempo em Curitiba e São Paulo quando o menino nasceu e ganhou o nome de Bruno
  • Eliza pede a Justiça o reconhecimento da paternidade
  • Bruno a convidou para ir até o Rio de Janeiro
  • Passou-se algumas semanas e Eliza desapareceu, e uma denúncia revelou que ela tinha sido assassinada e suas roupas queimadas no sítio do goleiro Bruno
  • Tempo depois o filho foi encontrado na casa da ex-mulher de Bruno
  • mais detalhes acesse (fonte: http://www.compromissoeatitude.org.br/caso-eliza-samudio/)

Segundo algumas informações de outros jornais, parte da carne do corpo de Eliza foi dado aos cães, e embora outros digam que isso teria sido encenação, eu pergunto, por que os cães foram sacrificados se nada disso aconteceu?

Notem a sequência de eventos terríveis, bárbaros, nojentos e inacreditáveis cometidos por este monstro, que hoje se diz estar arrependido, e que não pode fazer nada para trazê-la de volta.

Vejam a capacidade emocional e a tamanha frieza que este criminoso, hoje arrependido, cometeu contra esta mulher.

Visualizem a cena, ela, indefesa, apavorada, vendo a morte de perto, talvez pedindo clemência, e estes bandidos rindo da cara dela, dizendo: Perdeu.

A selvageria praticada contra Eliza foi tão monstruosa que até hoje não encontraram o seu corpo. Será que não o retalharam e deram aos cães?

Agora vem a justiça e solta um monstro desse novamente para conviver no meio de uma sociedade, enquanto nós ficamos olhando e admirando o seu suposto arrependimento?

É meus amigos, isto é Brasil!

Leandro Tissiano

2 pensamentos sobre “A condenação não traria Eliza Samudio de volta à vida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s